Qual a melhor forma para um brasileiro investir no S&P 500?

Depois de argumentar porque eu gosto do S&P 500, hoje é dia de transmitir um conhecimento que eu gostaria de ter recebido quando comecei na minha jornada de investimentos no exterior, que é:

Qual a forma mais vantajosa para um brasileiro investir no S&P 500 (ou outras ETFs do mercado global de ações)?

Neste momento, outubro de 2021, a melhor forma para brasileiros investirem no S&P 500 é pelo fundo passivo negociado em bolsa (ETF) chamado iShares Core S&P 500 UCITS, domiciliado na Irlanda, negociado em dólares na Bolsa de Londres sob o ticker CSPX, acessível para brasileiros pelas corretoras globais Interactive Brokers ou TradeStation.

Pessoalmente, eu uso a corretora Interactive Brokers, apesar da pequena taxa cobrada pela compra e venda de ativos, pois prefiro corretoras que não usam “payment for order flow”. Como já dizia o ditado, não existe almoço grátis, as corretoras “gratuitas” estão lucrando de alguma forma, a diferença é que algumas lucram de forma transparente e outras não. Esclareço que pela IB o meu único gasto mensal é 4 dólares, a tarifa cobrada por cada compra. Acho um preço justo por um serviço de qualidade.

Deixo claro também que não sou, nem nunca serei, patrocinado por nenhuma corretora. A minha intenção ao criar esse blog é transmitir o meu conhecimento da maneira mais direta e transparente possível, e acredito que esse tipo de patrocínio gera conflitos de interesse que não são compatíveis com o meu objetivo.

Quais são as alternativas?

Também é possível investir no S&P 500 por fundos americanos, como o IVV e SPY, acessíveis por várias corretoras americanas como a Avenue, TD Ameritrade, Charles Shwabb, Passfolio, Stake, Fidelity, dentre outras.

Outra alternativa é investir por fundos brasileiros como o IVVB11 e SPXI11, que nada mais são do que os ETFs IVV e SPY com um intermediário brasileiro a mais, que te cobrará uma taxa extra de administração anual de 0,24% ou 0,21% pela conveniência de poder comprá-lo na B3 por uma corretora brasileira.

Outra opção seria adquirir no Brasil um BDR, que nada mais é que um recibo de depósito que representam um destes ETFs americanas. Desta forma, o investidor está comprando uma cota num fundo estrangeiro, mas pelo mercado financeiro brasileiro, cuja propriedade é comprovada através deste recibo chamado BDR. Para isso, você pagará uma taxa de 3% sobre os dividendos distribuídos pelo fundo.

Se você tiver curiosidade em saber mais sobre essas alternativas e os seus custos, recomendo assistir este vídeo do Otávio Paranhos no YouTube.

Os problemas dos fundos americanos e brasileiros:

A pior opção, na minha opinião, seria investir direto em fundo domiciliado nos EUA, como o IVV ou SPY, disponíveis para quem tem conta na corretora Avenue — que patrocina muitos “influencers” brasileiros.

Como não sou patrocinado por ninguém, posso te dizer que essa opção não é das melhores.

Explico: os fundos (ETFs) americanos, por imposição regulatória dos EUA, não podem acumular e reinvestir automaticamente os dividendos distribuídos pelas empresas que fazem parte dele. Ou seja, 4 vezes por ano você irá receber dividendos na sua conta, já descontados de 30% de imposto, recolhido automaticamente pela sua corretora para o fisco americano. O investidor brasileiro ainda terá o trabalho de declarar esse rendimento, usando o carnê leão, à Receita Federal do Brasil. Esclareço que hoje, apesar da obrigação de declarar essa renda pelo carnê leão, o investidor brasileiro não pagará nenhum imposto extra no Brasil, pois ele pode descontar o imposto já pago ao fisco americano. Como a alíquota brasileira nesse caso chega a, no máximo, 27,5% — menor que a alíquota americana — o investidor brasileiro não precisará pagar nada. Porém, só o trabalho de ter que fazer isso já me dá preguiça.

Se você usar esses dividendos para reinvestir acabará criando outro entrave burocrático. Quando for vender o seu ativo e tiver que pagar imposto sobre o ganho de capital, na hora de calcular o lucro, parte do custo terá sido em reais e a outra parte em dólares — o que dificulta a apuração do imposto devido. Nada que não possa ser resolvido por uma boa planilha, mas é um trabalho a mais que, para quem é preguiçosa como a capivara, pode ser evitado com fundos de acumulação irlandeses. Acredito que a Avenue, por ser focada no público brasileiro, já faz essas contas pelo investidor, mas não tenho certeza, pois nunca tive conta lá. Porém, no caso das outras corretoras americanas que só dão acesso ao mercado americano, imagino que essa burocracia ficará por conta do investidor brasileiro.

No caso das ETFs brasileiras IVVB11 e SPXI11 esse problema é minimizado pois elas acumulam automaticamente os dividendos. Como o investidor nunca recebe dividendos, não precisa declarar nada. Nesse caso, a acumulação fará com que o preço da cota do fundo aumente proporcionalmente aos dividendos acumulados. Mas isso tem uma desvantagem. Do ponto de vista fiscal, mais um prejuízo para o investidor brasileiro, pois além dos dividendos já terem sido taxados em 30% quando saíram do fundo americano, serão taxados novamente em 15% na realização do ganho de capital quando o investidor decidir vender as suas cotas.

Os BDRs tem os mesmos problemas dos fundos americanos, pois são — na verdade — recibos de propriedade de cotas dos fundos americanos. A vantagem do BDR sobre comprar as ETFS direto dos fundos americanos é que não precisa arcar com os custos de efetuar uma remessa internacional. Por isso, na minha opinião, seria uma opção ligeiramente menos pior do que investir direto nos EUA.

Nota: uma vantagem que existe de investir direto pelos EUA ou Irlanda — hoje — é a isenção do imposto de ganho de capital para vendas de até 35 mil reais por mês de ativos no exterior. Dito isso, eu não conto com essa isenção no longo prazo, pois é possível que ela caia em alguma reforma tributária no futuro.

Porque os fundos domiciliados na Irlanda são melhores?

Distrito financeiro em Dublin, na Irlanda
Distrito financeiro em Dublin, na Irlanda

Devido aos custos de administração e impostos serem mais baixos. O que pode fazer uma baita diferença no longo prazo.

Note que você não precisa enviar o seu dinheiro para a Irlanda para comprar CSPX. Este ativo pode ser comprado por corretoras como a Interactive Brokers, que é uma corretora global com sede nos EUA. Na prática, você está enviando dinheiro para a sua corretora nos EUA, e de lá faz a compra do ativo irlandês pela Bolsa de Londres. Este processo é igual ao que um investidor com conta numa corretora que só dê acesso ao mercado americano faria para comprar o IVV na Bolsa de Valores de Nova York, por exemplo.

Outra vantagem do CSPX é que ele é um fundo acumulador. Ou seja, os dividendos são automaticamente acumulados pelo fundo e incorporados ao preço das cotas. O investidor brasileiro não tem o trabalho de declarar renda no carnê leão. Ponto positivo para os preguiçosos! :=)

Na questão dos impostos, os fundos irlandeses também ganham, porque pagam internamente (no fundo) apenas 15% de imposto sobre os dividendos das empresas americanas. Se for um ETF que inclua empresas de fora dos EUA, como o IWDA, pagará zero de imposto sobre os dividendos da maioria das empresas com sede em outros países. Note que nos fundos americanos, como o VT e IVV, o imposto é sempre 30%, independente do país de origem da empresa que está distribuindo os dividendos. Nos ETFs e BDRs brasileiros, como são ancorados pelos americanos, o problema é o mesmo.

E o custo de remessa e repatriação de recursos para o exterior?

Hoje, a melhor forma de enviar ou receber dinheiro do exterior é por serviços de transferência internacional como Remessa Online ou Wise.

Considerando que a taxa de administração das ETFs brasileiras é de aproximadamente 0,30%, e a do CSPX é de apenas 0,07%; no longo prazo, pode fazer diferença. Veja que o custo de administração incide sobre o rendimento total do seu investimento, e o custo de remessa apenas sobre o valor dos aportes ou repatriações. Considerando que um investidor racional nunca irá repatriar, de uma vez só, todo o seu patrimônio investido no S&P 500 — pois este é o investimento neutro da sua carteira — no longo prazo os rendimentos serão muito maiores do que os aportes. Deste modo, a taxa de administração, apesar de pequena, incidirá sobre um valor superior ao das remessas internacionais. No futuro farei uma comparação destes dois custos para tirar a prova do que faz mais diferença. Publicarei os resultados aqui.

Esclareço que, neste momento, os custos de remessa são a taxa cobrada pelo serviço mais o spread cambial mais o I.O.F. de 0,38% (estimo que este custo totalize em cerca de 1,4% do valor enviado ou repatriado).

Vale lembrar que novas regras anunciadas pelo Banco Central farão com que os custos de remessa e repatriação diminuam ainda mais no futuro próximo.

Mas não dá muito mais trabalho investir pelo exterior do que pelo Brasil?

Não! Para te provar, farei um breve resumo de todo o trabalho que tive e tenho para investir nas ETFs irlandesas:

Em 2018: Abri a conta na Interactive Brokers, fiz com calma, li tudo direitinho, devo ter gastado aí umas 3 horas.

Montei também uma planilha no Excel para registrar todas as compras e acompanhar a carteira, mais 30 minutos de trabalho.

Desde então, uma vez por mês:

Menos de um minuto para transferir o aporte do mês para a corretora.

Cinco dias depois recebo uma notificação pelo celular que o recurso está disponível para transações.

Menos de um minuto para fazer a compra da ETF pelo app da corretora. Depois, mais um minuto para registrar a compra na minha planilha.

Uma vez por ano, antes de fazer o aporte de janeiro, abro minha planilha e anoto em separado quanto devo declarar de patrimônio na aba bens e direito da declaração de ajuste anual do Imposto de Renda. Mais um minuto de trabalho.

Total de tempo que eu gastei desde que adotei esta estratégia de investimento há 3 anos, fazendo aportes mensais: menos de 6 horas. ¯\_(ツ)_/¯

É só isso. Não tem mistério nenhum. O único empecilho que vejo é que tem que saber falar inglês ou espanhol para abrir conta na Interactive Brokers.

Não tem que ser muito rico para investir no exterior?

Não! Pelo contrário, quem é muito rico é que pode “pagar” os custos extras pela conveniência de investir pelo Brasil.

É o mesmo caso do rico que, por conveniência, faz suas compras no supermercado caro do bairro; e do pobre que tem que buscar os melhores preços nos hipermercados grandes que ficam nos entornos das grandes cidades.

Por hoje é isso amigos.

Investimento longo e próspero! 💎🖖

— Capivara

PS: está gostando do conteúdo? Dá uma força e me siga por aí para não perder os próximos artigos. :=)

RedditTwitterInstagram

22 comentários

  1. O quanto é valido começar? Faço aportes de 1.5k/2k de reais mes, quero em torno de 25% de exposição ao dolar. então esse valor mensal seria de no maximo de R$500,00 reais. Será que ainda é valido abrir uma conta para investir por fora? Ou continuo com IVVB11 e SPXI11?

    1. Note que investir globalmente não quer dizer exposição ao dólar. Você não está comprando dólar, está comprando cotas de milhares de empresas ao redor no mundo, na prática estaria exposto a quase todas as moedas do globo.

      No seu caso, para saber se vale a partir de qual valor vale a pena mandar para uma corretora no exterior teria que ver qual seria o custo da remessa para o seu caso específico. Confesso que eu nunca fiz essa conta, mas já vi o Otávio Paranhos comentando que valeria a pena a partir de 1500 reais por mês.

      Se vale a pena abrir uma corretora fora é uma decisão pessoal sua e se você fala inglês para poder abrir conta na Interactive Brokers. Corretoras tipo a Avenue que, apesar de terem site em português, eu acho que não vale a pena pois elas não dão acesso as ETFs irlandesas. Comprar IVVB11, SPXI11 ou CSPX é a mesma coisa em termos dos ativos que você está comprando, a diferença é apenas os custos e os impostos, mais baratos para CSPX.

  2. Ótimo texto, já comecei a analisar como vai ser isso de investir nos ETFs Irlandeses. Infelizmente já abri conta na Avenue e enviei un dolares para lá. Sendo que se eu for mesmo partir pra “Irlanda” eu já perdi no spred do dolar, porque terei que resgatar o valor que está lá. Mas esse é o custo do aprendizado rsrs

    1. Obrigado.

      Note que é possível transferir cotas de uma corretora pra outra sem a necessidade de vender os ativos. A Avenue tem a obrigação de te oferecer essa possibilidade para cumprir com a regulação americana. Recomendo entrar em contato com o suporte deles para ver como faz.

  3. Capivara, comecei recentemente nos investimentos, ainda nem declarei meu primeiro imposto de renda por que janeiro ainda está para chegar.
    Teria como me agraciar com a sua planilha para eu organizar minhas compras?, sou bem ruim em excel kk

    1. Boa noite! Gostaria de saber se precisa ser maior de idade para abrir conta na interactive brokers e demais citadas.

  4. Obrigado capivara, a tempos acompanho seu trabalho no Reddit e gosto mto da sua sinceridade. Obrigado por compartilhar o seu conhecimento.

  5. é possivel repatriar comprando BTC na IKBR e jogando o BTC para uma carteira em corretora tipo a Binance que não cobra por saque/pix para o Brasil?

    o ideal seria a IKBR negociar stable coins, seria imbativel

    1. Acho que não. Por enquanto não tem crypto na IBKR e há controvérsias se isso não seria uma operação de câmbio ilegal.

      No futuro, por outro lado, se for possível comprar crypto no IBKR seria possível carregar um cartão tipo visa com crypto e gastar com produtos e serviços do dia e dia. É o que eu pretendo fazer no futuro, quando essa possibilidade existir. Mas o mercado de crypto ainda está muito incerto neste momento para ter essa utilidade. De toda forma, estou de olho.

  6. Olá Capivara, tudo bem? Excelente conteúdo! Estou planejando em 2022 iniciar meus investimentos no exterior.

    Sou outro que aguardo a disponibilização da sua planilha secreta para a manada. Continue com o ótimo trabalho!

    1. Obrigado amigo Fred. Estou concluindo os últimos detalhes da planilha e em breve compartilharei. O universo de coisas possíveis no Excel é gigantesco, e eu estou empolgado, hehehe, por isso está demorando um pouco, estou aprendendo umas coisas novas.

  7. Você disse que gasta apenas 4 dólares em taxas par afazer seu aporte mensal. Então você deve ter um valor mais alto, não é? Pois eles cobram uma mensalidade de acordo com a faixa de investimento (consumível nas taxas das transações), não é?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.