Como funciona um ETF? Explicado por uma capivara

No primeiro texto desta série, intitulado “O que é um ETF?“, você aprendeu que um ETF é um fundo de investimento negociado em bolsa. Na maioria das vezes é um fundo de ações que segue um índice passivo — como o S&P 500, MSCI World, MSCI Emerging Markets, FTSE Global All Cap e vários outros.

Um fundo pode ser entendido como uma cesta de ovos, onde cada ovo é um ativo financeiro.

Fundo de ativos financeiros

Uma alegoria:

Vamos imaginar que o senhor Jones é um fazendeiro falido, que virou comerciante, e gostaria de vender no mercado de sua cidade uma grande cesta com vários ovos. Jones sabe que nenhum morador da sua pequena cidade tem dinheiro para comprar a cesta inteira de uma única vez, por isso decide vender cotas que dão direito a uma parte da cesta.

Assim, caso o senhor Jones venda 100 cotas, cada cota representa para o seu dono 1/100 do valor total da cesta de ovos.

Por quanto o senhor Jones irá conseguir vender cada cota?

Se cada ovo vale em média 10 reais e a cesta tem 1000 ovos, um comprador racional julgaria que cada cota vale (10*1000)/100; ou seja, 100 reais. Assim, o senhor Jones vendeu cada cota da sua cesta por 100 reais no mercado, e todo mundo quase viveu feliz para sempre, até que alguém resolveu vender sua cota no mercado secundário (para outra pessoa no mercado).

Por existir uma raposa na cidade que estava roubando ovos e matando todas as galinhas, havia uma expectativa que o preço dos ovos fosse subir nas próximas semanas. Porém, ninguém queria comprar ovos individualmente, pois as pessoas estavam com medo de sofrer uma emboscada da raposa e ter os seus valiosos ovos roubados. Isso fez com que várias pessoas se interessassem em comprar cotas da cesta de ovos do senhor Jones.

Foi quando surgiu um problema: o valor das cotas passou a variar de acordo com a oferta e demanda e o seu preço se descolou do valor dos ovos que compõe a cesta. As pessoas estavam com medo de ter os ovos roubados, o que fez o preço dos ovos cair. Ao mesmo tempo, o preço da cota da cesta aumentou, devido à expectativa que a escassez de ovos fizesse com que o seu valor aumentasse.

Acontece que o senhor Jones não é besta e, percebendo que o valor das cotas no mercado secundário subiu, decidiu criar mais cotas da mesma cesta, com os mesmos 1000 ovos, e ofertá-las novamente no mercado, onde as cotas dos compradores originais também estavam sendo negociadas no chamado mercado secundário.

Foi aí que o senhor Jones foi brutalmente assassinado pela multidão furiosa com ele, por ele ter diluído o valor das cotas originais. Afinal, se existem mais cotas para uma mesma quantidade de ovos, cada cota irá valer menos.

Espero que tenha ficado claro pra galera do Mises que o “livre” mercado nem sempre funciona e que em algumas situações algum tipo de regulação é necessária.

Como resolveram esse problema?

Para evitar outro banho de sangue, o prefeito da cidade proibiu o filho do senhor Jones, Jones II, de ir ao mercado. Mas Jones II ainda assim gostaria de continuar o negócio de venda de cotas iniciado pelo pai e negociou uma solução com o prefeito.

Com uma cesta vazia e sem a possibilidade de ir ao mercado comprar ovos, Jones II contratou intermediários para ir à feira por ele para realizar a compra dos ovos que iriam fazer parte da sua cesta. Como Jones II não tinha dinheiro, ele decidiu que iria criar cotas da cesta, e usar essas cotas para pagar os intermediários pelos ovos.

Para evitar conflitos de interesse, o prefeito criou uma lista de intermediários autorizados (chamada de “participantes autorizados”) para ele poder ficar de olho no comportamento desses agentes e não deixá-los fazer besteira.

Portanto, agora Jones II compra ovos dos intermediários em troca de cotas. Os intermediários, por sua vez, vendem as cotas no mercado. Claro, os compradores das cotas originais tem liberdade para comprar e vender cotas entre si no mercado secundário.

Desta forma, se a demanda por cotas aumenta além do custo dos ovos que fazem parte da cesta, os intermediários têm um incentivo para comprar mais ovos e trocá-los por novas cotas criadas pelo filho do senhor Jones.

Por outro lado, se a demanda pelas cotas diminuir para um valor inferior ao dos ovos que compõe a cesta, o intermediário tem um incentivo para comprar essas cotas um pouco mais baratas no mercado secundário e troca-las por ovos que estão na cesta do Jones II; e posteriormente vender os ovos individuais no mercado.

Assim, todos viveram felizes para sempre.

Tá, mas o que isso tem a ver com o funcionamento de um ETF?

No caso de um ETF o dono da cesta é a gestora do fundo, também conhecido como a emissora das cotas do ETF. Por exemplo, no CSPX a gestora é a iShares (marca do grupo Blackrock, maior gestora de ativos do mundo), no VT a gestora é a Vanguard (que inventou o fundo de investimento passivo). Outros exemplos de gestoras são SPDR, Invesco, Xtrackers, HSBC, etc.

A gestora do ETF também é responsável por decidir quais ativos (ovos), e em que proporção, farão parte do fundo (cesta).

Porém, note que a gestora não escolhe a quantidade de ativos. A quantidade dependerá da demanda sobre as cotas do ETF no mercado. Quando a demanda aumenta, os participantes autorizados têm um incentivo para comprar mais ativos e troca-los por novas cotas. Alternativamente, caso a demanda diminua, eles têm um incentivo para comprar cotas no mercado secundário e troca-las por ativos junto à gestora do ETF.

Portanto, na prática, o preço de mercado de uma cota de um ETF estará um pouco acima ou um pouco abaixo do valor de mercado dos ativos que compõe o fundo.

Note que quanto mais popular for um ETF menos o preço da cota irá se distanciar do preço real dos ativos que fazem parte do fundo.

Para o investidor pequeno é impossível saber quando o preço da cota estará um pouco acima ou abaixo do preço dos ativos. E mesmo que fosse possível, a diferença é de apenas poucos centavos e é uma parte minúscula do custo total de se investir em um ETF. Portanto, não é algo que o investidor que está buscando independência financeira (FIRE) deve se preocupar.

Quais os custos relevantes de se investir em um ETF?

A grande vantagem de investir por ETFs são os custos mais baixo em relação a outros tipos de investimento. Mas, ainda existem custos. Afinal, não existe almoço grátis.

Para administrar a cesta, a gestora irá te cobrar uma taxa para cobrir as despesas e lucro do fundo (conhecida como “expense ratio”). No caso do CSPX essa taxa é de 0,07% ao ano, no caso do VWRA é de 0,22%. Muito mais barato que os 2% normalmente cobrados pelos fundos ativos! Mais um ponto positivo para ETFs.

Note que esta taxa não é cobrada diretamente do investidor, mas descontada dos rendimentos do fundo. Por exemplo, se você tem o equivalente a 100 mil dólares investido no CSPX, em tese, ao final de um ano, o seu rendimento será 70 dólares menor (100 mil vezes 0,07%) do que o rendimento teórico que você teria se pudesse investir direto no índice S&P 500. Investindo o mesmo valor em VWRA, a sua “despesa” anual seria equivalente a 100 mil vezes 0,22%, ou seja, 220 dólares. Se fosse um fundo ativo que cobra 2% de taxa, sua despesa anual seria de 2000 dólares!

Caso você queira saber mais sobre as despesas de remessa, repatriação e impostos relacionadas a investir em ETFs, recomendo ler o texto: “Qual a melhor forma para um brasileiro investir no S&P 500?

Por hoje é isso amigos.

Investimento longo e próspero! 💎🖖

— Capivara

PS: atendendo a pedidos, instalei um plugin de notificações neste site. Caso você queira ser notificado quando novos textos forem postados, clique no sino no canto inferior esquerdo. Prometo que nunca usarei notificações para te mandar spam e você pode cancelar sua inscrição quando quiser.

PS: este é o segundo texto de uma série de textos que estou escrevendo sobre ETFs. O próximo se chamará “Como escolher um ETF?” e entrarei em detalhes sobre quais os melhores sites para pesquisar ETFs e o que é importante observar nos materiais de divulgação preparados pelas gestoras.

PS: me perguntaram o que aconteceria se a gestora deixar de existir ou se ela decidir encerrar o fundo. Nesse caso, você receberá o dinheiro na sua conta na corretora. Ressalto que é praticamente impossível que isso aconteça com grandes ETFs como o CSPX, IWDA, EIMI, VWRA, VT, VOO, etc.

3 comentários

  1. Cara eu estou amando esse conteúdo, qualidade e fácil entendimento, só fui me interessar por investimentos agora perto dos 30, e por causa do meu filho hahaha. Estava em dúvida de como começar a investir e no que investir, mas seu primeiro post sobre ETF’s já me deixou claro sobre o que eu quero. Busco a mesma coisa que você, agora é me aprofundar no assunto e continuar estudando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.