Como a capivara chegou ao seu primeiro milhão?

Capivara voando rumo ao FIRE

Este ano, pela primeira vez na minha vida, posso dizer que sou tecnicamente milionária, pelo menos em reais. Hoje contarei a história de como cheguei até aqui.

Os privilégios:

Serei completamente honesta e transparente. Houve, sim, privilégio nessa jornada.

Nasci numa família de classe média média. Meus pais foram funcionários públicos a vida toda. O ambiente familiar foi relativamente estável, e eles me deram a oportunidade de estudar em boas escolas particulares até os meus 18 anos.

Passei no vestibular — na área de exatas — em uma boa universidade federal. Como “recompensa” por isso meus pais me presentearam com um carro popular usado e me ajudaram financeiramente com combustível, alimentação e outras despesas até eu começar a ter a minha própria renda, alguns anos depois.

Desde que me graduei na universidade e fui morar com a senhora capivara, em um pequeno apartamento, meus pais nunca mais me deram apoio financeiro, nem me ajudaram a arrumar emprego ou clientes. A partir daí foi por minha conta (e um bocado de sorte também).

A trajetória, parte 1:

Na escola considero que aproveitei ao máximo essa sorte que o universo me deu. Eu era nerd, tinha poucos amigos, gostava de estudar, e tirava notas muito altas, sobretudo em física e matemática.

Na universidade, fiquei um pouco decepcionada com o curso e as perspectivas da carreira, mas me formei sem atraso.

Sempre fui muito curiosa e tive muitos hobbies. Normalmente fico obcecada com um assunto e estudo o máximo que eu posso sobre ele. Antes mesmo de me formar, comecei a fazer bicos em áreas relacionadas aos meus hobbies. Trabalho autônomo foi a minha principal fonte de renda pela maior parte dos meus 20 e alguns anos.

No meio dessa fase, trabalhei por um ano como CLT ganhando um salário mínimo em uma microempresa que atuava em uma área relacionada a um dos meus hobbies. Apesar do salário baixo, conheci muita gente, o que abriu várias portas para mais — e melhores — freelas no futuro.

Nesse período a minha renda líquida aumentou, ao longo dos anos, de zero até 5 mil reais por mês, em média. Em alguns meses eu ganhava mais, em outros não ganhava nada.

Praticamente não poupei dinheiro neste período. Gastava tudo o que ganhava com os meus hobbies e nessa época não tinha nenhum conhecimento sobre investimentos. Troquei de carro uma vez, e nos últimos dois anos dessa fase me mudei para um apartamento (alugado) um pouco maior.

Apesar de não ter poupado, sinto que acertei por nunca ter feito dívida. Pra mim, ou eu tenho dinheiro para consumir um produto ou serviço à vista, ou não posso consumir aquilo. Nunca paguei um real de juros na minha vida.

A trajetória, parte 2:

Apesar de viver de freelas, estava sempre de olho no mercado de trabalho formal em busca de uma vida mais estável e uma renda maior. Em algum momento eu descobri que existiam pessoas que viviam como nômades digitais e fiquei fascinada com essa cultura. Foi quando comecei a buscar oportunidades de emprego remoto no mercado externo que fossem compatíveis com esse estilo de vida.

Quando tinha perto de 30 anos uma dessas oportunidades surgiu e consegui o meu primeiro emprego de verdade. Comecei a trabalhar remotamente para uma multinacional pelo salário líquido de 4 mil dólares por mês.

Após me acostumar com o novo emprego e perceber que já tinha alguma estabilidade, vendi tudo que tinha e parti para a Europa para ser nômade digital e assim vivo até hoje. Esclareço, escrevo agora com 30 e alguns anos nas costas.

Gradualmente minha renda líquida aumentou de 4 mil dólares para 7 mil dólares por mês — o que eu ganho hoje. Sei que é um salário altíssimo para os padrões brasileiros e me sinto muito sortuda de ter esse emprego. Mas é um salário normal para a classe média dos países desenvolvidos.

Os investimentos:

Finalmente chegamos a parte que interessa deste texto! :=)

Desde que comecei a ganhar em dólar comecei a poupar, em média, pouco menos da metade do salário. Depois que me tornei nômade inevitavelmente também me tornei minimalista, e percebi que ter muitos bens materiais não me traz muita felicidade. (Nada contra quem gosta de comprar coisas, cada um sabe do seu.)

A maior parte dos meus gastos são com moradia e experiências. Em algumas épocas consegui poupar mais, em outras menos. Com a pandemia ficamos mais quietos e acabamos poupando bem mais do que a média pré-pandemia.

Por muito tempo não soube bem onde investir. Por recomendação de uma amigo, que também não entendia muito de investimento, acabei deixando o dinheiro em títulos bancários de renda fixa com vencimentos de um a três anos. Mas eu já tinha na minha mente que um dia eu teria que reservar um tempo para estudar investimentos com mais seriedade.

Em 2018 dei o primeiro passo e li o livro “The Intelligent Investor” do Benjamim Graham, que abriu a minha mente para fundos passivos do mercado de ações. Fiquei obcecado pelo assunto e descobri o wiki do Bogleheads, onde aprendi como implementar na prática as estratégias de investimento passivo descritas no livro do Graham. Outra descoberta fascinante para mim foi a comunidade FIRE (“financial independence / retirement early”) — pessoas que investem para atingir a independência financeira e, caso queiram, se aposentarem precocemente.

Apesar de eu gostar do meu trabalho, ele é puxado e não me vejo fazendo isso até os 65 anos, então entrei de cabeça no FIRE e tornei a independência financeira o objetivo maior dos meus investimentos. Planejo me “aposentar” daqui a uns 10 anos, alguns anos antes de chegar aos 50. Escrevo “aposentar” entre aspas porque pretendo continuar trabalhando, inclusive o meu blog é um dos projetos que continuarei a desenvolver depois que largar o trabalho formal. Por “aposentar”, eu quero dizer, deixar de ser obrigada a trabalhar para ganhar dinheiro e poder me sustentar com a renda passiva dos meus investimentos.

A estratégia do investimento passivo global:

Para atingir o meu objetivo, optei pela estratégia de investimento passivo, 100% alocado no mercado global de ações.

Ela consiste em, todos os meses, comprar ETFs que sigam índices que se aproximem da média do mercado global. Para minimizar os meus custos, faço isso com ETFs domiciliadas na Irlanda, como descrevo no texto: “Qual a melhor forma para um brasileiro investir no S&P 500?

Minha alocação é (aproximadamente):

  • 50% CSPX, que segue o S&P 500;
  • 40% IWDA, que segue o MSCI World (empresas de países desenvolvidos);
  • 10% EIMI, que segue o MSCI EM (empresas de países emergentes).

Recentemente incluí também uma pequena parte no SUAS: empresas americanas diversas, excluídas empresas muito poluidoras. Em breve pretendo alocar uma pequena parte em algum ETF que siga o índice Nasdaq 100.

O progresso até aqui:

Comecei com essa estratégia em outubro de 2018, há 3 anos, com um aporte inicial de quase 60 mil dólares. Desde então tento fazer aportes de 2 a 4 mil dólares por mês, porém nem sempre consegui e em alguns meses fiz alguns saques para curtir a vida um pouco, o que também é importante. :=)

Para minha surpresa, nesses 3 anos os rendimentos foram muito acima das minhas expectativas, o que é bom e ruim. Bom porque estou ficando mais rico. Ruim porque se o mercado de ações está rendendo muito acima da média histórica neste momento, provavelmente renderá abaixo da média no futuro. Pra quem está na trajetória do FIRE, o ideal seriam rendimentos ruins no começo da fase de acumulação, para ter a oportunidade de comprar ativos mais baratos. Escreverei mais sobre essas nuances no futuro.

Hoje, meu patrimônio é de 192 mil dólares, cerda de 1,05 milhões de reais. Óbvio que só posso dizer que sou tecnicamente milionária devido a acentuada valorização do dólar frente ao real; e dos rendimentos acima da média histórica no mercado de ações nos últimos 3 anos. Pode ser que eu deixe de ser milionária no futuro se o dólar baixar ou houver uma crise.

É isso amigos.

Pretendo continuar participando dessa comunidade tirando as minhas próprias dúvidas e compartilhando os conhecimentos que tenho.

Investimento longo e próspero! 💎🖖

— Capivara

PS: esta persona foi criada para falar apenas sobre independência financeira e investimentos. Gostaria de preservar a privacidade e manter o anonimato dos Criadores da capivara. Por isso, não darei detalhes sobre o meu trabalho ou meu estilo de vida nômade — até porque tenho aversão a ‘coach’ e similares. Sei que não foi apenas esforço pessoal, nem apenas privilégio, que me fizeram chegar até aqui. A verdade também é que dei muita sorte de estar no lugar certo na hora certa para conseguir um bom emprego. Não existe fórmula mágica para ter esse tipo de sorte.

PS: esclareço que esta persona, e o meu blog, não têm fins lucrativos. É apenas mais um dos meus hobbies. Eu aprendi muito estudando conteúdo disponível de graça na Internet — por exemplo o Bogleheads e o blog gringo Early Retirement Now — e agora estou retribuindo ao universo com o pouco que sei. Minha intenção com esse projeto é criar conteúdo educativo gratuito para pessoas que, assim como eu, gostam de estudar. Eu nunca venderei curso, nunca colocarei conteúdo atrás de paywall, nunca venderei e-book. Tudo que sei será publicado 100% de graça aqui no Reddit e no meu blog. Amanhã, no horário de sempre, publicarei um texto explicando o viés da Capivara.

PS: Arte por Oftennice (Fiverr)

17 comentários

  1. Capivara obrigado por compartilhar um pouco sobre você, sinceramente tinha curiosidade sobre ti pelos posts, sendo que neste voce explanou um pouco sem precisar entrar em detalhes desnecessários. Fica aqui registrado aqui um admirador do conteudo e de sua escrita.
    Vida longa ao reino das capivaras.

  2. Parabéns, e obrigado por compartilhar o conhecimento. Também tive a curiosidade de vir aqui por um comentário no /investimentos. Estou adorando e parece ser exatamente o que estava precisando. Boa sorte e bons rendimentos!!!

  3. Showww!!! Acabo de ler seu último post no Reddit e me inscrever no sub. Só conteúdo top.

    Raro d+ achar alguém com essa mentalidade “Tudo que sei será publicado 100% de graça aqui no Reddit e no meu blog.”

    Sucesso!

    Vida longa ao reino das capivaras

  4. Capivara, me explica como se eu tivesse 5 anos por que vale a pena apostar 10% em EIMI se o rendimento histórico mais recente (5-7 anos) é tão pior que um CSPX ou IWDA?

    1. Retornos históricos não são parâmetros para prever retornos futuros. É impossível, sem uma bola de cristal, saber qual mercado irá se valorizar mais no futuro. Veja que no final dos anos 90 e primeira década dos anos 2000 os emergentes cresceram muito mais do que os desenvolvidos.

  5. Capivara, qual é a sua meta financeira em USD para o FIRE? Você decidiu ter 100% em stocks por morar fora ou cogitou ter renda em BRL também?

    1. Oi Hugo. Minha meta é chegar a uns 700 a 800 mil para me considerar financeiramente independente. 100% stocks porque as taxas de juros estão muito baixas no momento. Não acho que faz sentido matemático incluir bonds, nem perto da aposentadoria. Farei um texto só sobre isso em breve.

      Eu pretendo morar no Brasil quando aposentar e ainda assim só converterei para BRL o mínimo necessário para cobrir o meu custo de vida.

  6. Capivara, ando lendo muito seu blog ultimamente e to achando incrivel o conteudo, parabéns pelo trabalho! O que acha do fundo WRLD11? é viavel pensando em longo prazo e aposentadoria?

    1. O índice FTSE All-World, que este fundo segue, é excelente para longo prazo e aposentadoria. É o famoso “VT and Chill”.

      Mas na minha opinião, se você falar inglês, seria mais vantajoso comprar o VWRA por uma corretora global, por ser mais eficiente do ponto de vista das taxas e impostos sobre dividendos. Farei um texto específico sobre isso em breve.

  7. Parabéns pelo seu primeiro milhão capivara. Adoro capivaras. Que você tenha uma vida longa e próspera.

    1. Grande Vagabundo. Acho que o fator principal é sorte de estar no lugar certo na hora certa. O outro fator é estudar, sou uma grande entusiasta do estudo contínuo ao longo da vida. Outro ponto é ter um portfólio de projetos interessantes, seja qual for sua área. Eu acho que a maioria dos empregadores querem ver evidências que um candidato é capaz de produzir trabalho de qualidade. Evidência, como um portfólio, vale mais do que currículo.

  8. Parabéns pela trajetória e que bom que está feliz =). Tenho uma história um pouco similar, também estive no “lugar certo/hora certa” com o “mindset correto” e estou ganhando USD 8k mês estando no Brasil. Comecei em outubro, a sensação de ganhar tudo isso é muito boa e acredito que dentro de poucos anos poderei me aposentar tranquilamente. Apesar do valor ser surreal pra mim, o ser humano é ganancioso… não pretendo parar por aqui, pretendo tentar ir além extraindo o máximo do meu potencial e se possível ganhar mais do dobro em alguma FAANG da vida ou similar, mas pra isso devo me preparar muito mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.