Como funciona o mercado de ações? Explicado por uma capivara

Este texto não é para você que já investe em ações. Ele é para a pessoa que acha que investir em ações é cassino, coisa do demônio ou terreno exclusivo de capitalistas inescrupulosos; ou para você que acredita piamente na falácia do título público ser o investimento mais seguro que há.

O que significa comprar uma ação?

Comprar ações é se tornar dono de parte de uma empresa. 

Você já olhou para um McDonalds lotado e pensou “esses caras devem ganhar uma puta grana”? Pois é, se você quiser, com 250 dólares, você pode se tornar sócio do McDonalds e começar a receber trimestralmente sua parte dos lucros. Simples, não é? 

Além disso, quando você quiser, poderá vender sua participação nessa empresa para outro investidor. Se o McDonalds tiver crescido nesse período com novos produtos ou novas lojas, você ainda terá um belo lucro nessa venda porque, à medida que a empresa cresce, o valor da sua ação sobe. Uma ação é um ativo apreciativo, pois fica mais caro com o tempo; o contrário do seu carro, que é um ativo depreciativo.

Ou seja, ao comprar ações, o seu patrimônio pode crescer de duas formas:

  • A empresa investiu em novos produtos ou projetos, e assim o seu valor real cresceu.
  • A empresa distribuiu lucros aos acionistas, também chamados de dividendos.

Vamos botar uma lupa nessa história e refletir sobre o que isso significa

Uma empresa é, essencialmente, um grupo de pessoas que estão tentando gerar algum tipo de valor para a sociedade. Todas as empresas têm um valor real (também conhecido como valor intrínseco); ao mesmo tempo têm um valor de mercado, que varia de acordo com a expectativa dos investidores.

O valor real é desconhecido pelo mercado.

Analistas de investimento coletam o máximo de informações sobre uma empresa para tentar estimar qual é o valor real e compará-lo com o valor de mercado. Se o valor real estimado por eles estiver acima do de mercado, em teoria, este analista poderia concluir que comprar ações dessa empresa seria um bom investimento.

Infelizmente, muitas pessoas perdem tempo e dinheiro comprando e lendo análises profissionais feitas por fundos de investimento, bancos ou corretoras. Essas análises são inúteis, como explicarei em artigos futuros. Mas já adianto que é muito comum o analista A dizer que uma empresa está sub-valorizada e o analista B dizer que está super-valorizada. E aí? Quem está certo?

Tome a Tesla como exemplo. Em 2019, quando uma ação valia 40 dólares, muitos analistas diziam que a ação estava super-valorizada, pois era uma empresa nova na área automotiva e não tinha a menor chance de concorrer com as grandes. Hoje, em 2021, a ação vale 790 dólares. ¯\_(ツ)_/¯ Quem comprou em 2019 multiplicou seu investimento em quase 20 vezes. 

A verdade é que quase ninguém sabe pra onde vai o preço de uma ação. Quem diz que sabe — cof, cof, “influencers”, cof — está desinformando. 

A capivara pondera sobre a maré e os seus investimentos

Se você sabe o que é a hipótese do mercado eficiente*, sabe que o valor de mercado oscila para cima e para abaixo do valor real, como uma onda no mar. O vai e vem das ondas é a variação de curto ou médio prazo do valor de mercado em torno do valor real. O nível da água é o valor real da empresa. Se a maré está subindo, o valor real da empresa está subindo junto no longo prazo, ou vice-versa. Quanto mais eficiente for o mercado e menos incerto for o futuro de uma empresa, em geral, menor será a amplitude das ondas, pois o valor de mercado não se deslocará demasiadamente do valor real.

Para o investidor de longo prazo, as ondas são irrelevantes. O que importa é observar a maré (com a serenidade e paciência de uma capivara).

O objetivo do investidor racional é comprar as ações de empresas cuja maré está subindo e vender as ações de empresas cuja maré está baixando.

O investidor bem sucedido é aquele que tem inteligência e competência para  estudar, refletir e entender as histórias por trás das empresas nas quais ele está considerando investir, e identificar corretamente para que lado a maré está indo.

Note que os investidores competem entre si para identificar com mais clareza quais empresas tem as melhores histórias. Para um investidor comprar uma ação (a não ser que seja um IPO), outro investidor vai ter que vender. Portanto, nem todos os investidores ganham sempre, pois para todos os investimentos que estão ganhando acima da média do mercado, devem existir outros investimentos que estão perdendo.

Os investidores estão jogando um jogo de estratégia e competindo entre si. Eles jogam pesquisando e interpretando informações sobre as empresas que existem no mercado. Quem for melhor nesse jogo de interpretação das informações, serão os vencedores e ganharão acima da média do mercado, os outros serão os perdedores, pois poderiam ter ganhando mais, sem esforço, investindo em fundos que sigam um índice passivo e assim ganhando a média.

Como você, investidor individual, fica nessa história?

Quem não quer participar do jogo também pode aumentar o seu patrimônio investindo em ações. Para isso, basta investir em fundos de índice passivo que represente um número suficientemente grande e diversificado de empresas. Fazer isso é simples e lhe garante rendimento superior ao da maioria dos investidores profissionais e institucionais que participam do mercado de ações.

Como assim: “a maioria”?

Um fato curioso que você talvez não saiba é que a grande maioria dos investidores profissionais são perdedores! Ou seja, no longo prazo ganham abaixo da média do mercado. O que faz sentido, na verdade. 

Uma analogia para te ajudar a entender melhor: nem todo jogador de basquete ganha dinheiro com o esporte. Na verdade, a grande maioria perde (custo da bola, quadra, tênis, etc). Só os melhores entre os melhores entram na NBA e ficam ricos. No mercado de ações também é assim. Só os melhores entre os melhores — e.g. Warren Buffet, Peter Lynch, entre outros — conseguem ganhar acima da média do mercado no longo prazo.

Portanto, não é verdade o que contam por aí: que para ganhar dinheiro com investimento em ações a pessoa tem que ser um gênio das finanças. Qualquer pessoa pode ganhar com pouco esforço, se ela se contentar em ficar na média do mercado. (Spoiler-alert: o retorno médio do mercado global de ações, no longo prazo, é muito maior que o de quase todos os investimentos do mercado financeiro brasileiro).

* Em breve escreverei um texto sobre a hipótese do mercado eficiente e também sobre investimento passivo no mercado de ações. Adicione esse site aos seus favoritos e me siga nas redes para não perder: Reddit, Twitter e Instagram.

7 comentários

  1. Texto simples mas bem esclarecedor, como um curioso querendo ser iniciante na área, gostei bastante.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.